O que acontece em 21km

Olha ao redor. Ao mesmo tempo que olha pra si mesma. E segue. Segue o fluxo. Segue o vento, ou colide contra ele.

Segue correndo…

Sente com prazer o peso do corpo.

Carrega, a cada passada, também o peso de sua vida. Como pesam os pensamentos… Nunca tinha reparado.

Em breve, sentirá o tencionar da musculatura, o sol escaldante no rosto. Vai ser palco do duelo entre mente e corpo.

Mas se mantém neutra. Escrava das pernas.

Só corre. Não tem outra alternativa, nem quer tê-la. Não naquele momento.

Às vezes dentro, às vezes fora do ritmo da música. Não olha o relógio. Tem tanta coisa para ver. Se deslumbra. Estuda os contornos da cidade onde mora.

Olha em volta.

Como nunca tinha reparado na beleza do ângulo torcido do Dois Irmãos? Nas ondas espirrando nas pedras sob o Elevado do Joá?

Mirando o mar aberto, secretamente procura golfinhos. Barbatanas. Quem sabe uma baleia jorrando água? Corre…

Mecânico, o corpo se movimenta para seguir as companheiras de corrida. Pensa em como é bom tê-las por perto. Elas a guiam.

Longe, um lado da mente se inebria com os cartões postais repentinos de cada metro avançado.

Sorri ao ver a silhueta do pescador que madruga sobre uma das rochas da Niemeyer. Seus olhos reverenciam as diferentes facetas do Pão de Açúcar.

Ainda mais longe, o outro lado da mente está distante dali…

Tem horas que tem de se fazer presente, para amenizar as aflições do corpo que, imaturo, não consegue lidar com suas dores sozinho.

Mas na maioria do tempo, ela viaja por seu universo particular e percorre todas as dimensões da vida…

Ela olha pra dentro.

Vê com nitidez. Se assusta um pouco com a visão. Como é rico esse mundo interior. E tão pouco explorado…

Penetra-o com certa cautela. Resolve, mas cria novos problemas. Rebobina bons momentos. Interfere em finais já estabelecidos. Especula acontecimentos futuros. Cria desfechos. Matuta sobre questões fúteis e existenciais. Bola estratégias. Acha soluções, e também as perde de vista.

Além de bananas, géis de carboidrato, águas e música, isso é seu verdadeiro combustível. Sua meditação um pouco menos passiva.

Tem vontade de portar uma câmera e um pedaço de papel. Mas se contenta em registrar tudo na memória.

Segue correndo, olhando, analisando, suportando a dor e o cansaço…

E quando menos espera, cruza a tão esperada linha de chegada. Passaram-se 21km. Nunca imaginou que teria tantas epifanias enquanto o corpo chegava ao limite…

Ele está exausto, mas a cabeça nunca esteve tão leve…

pé

Anúncios

3 pensamentos sobre “O que acontece em 21km

  1. A melhor corrida que já fiz foi essa aqui no Rio. Sou goiana e acompanho atenta cada palavra aqui exposta. Vc eh muito profunda e ao mesmo tempo simples. Parabéns!!

  2. Alzira, nunca tinha feito uma corrida tão longa, mas tenho certeza de que a estréia não podia ter sido em outro lugar nem em outro dia. Foi simplesmente espetacular!
    Obrigada pelo estímulo e espero que continue acompanhando as reflexões aqui “publicadas”! Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s